Garrancho

8f7a30f384cfc86e1c2089dd98cdea6dOs professores, ao comparar minha caligrafia com meus desenhos no colégio, sempre se espantavam com a diferença. Nem parecia a mesma pessoa ou o mesmo lápis, de onde vertiam coisas aparentemente tão diferentes.
 
Eu resolvi esse problema bastante tempo depois, com o surgimento dos meios eletrônicos de compor. O conteúdo seguiu ruim, mas legível.
Pelos meios mecânicos eu não consegui. Desisti do curso de datilografia e, antes, também não tive paciência de tentar uma técnica que burlaria meu desleixo e motricidade fina, a técnica dos cadernos pautados da caligrafia. Hoje seria tão útil quanto ter aprendido Esperanto.
O contrário, a redação perfeita, com a letra muito bem feita ou fonte adequada, mas com o conteúdo ruim, dá pra dar um jeito. Pelo menos na parte que não passa pela subjetividade, capacidade de interpretar ou opinião do público. E isso pode ser contornado, não só sofisticando a forma, mas melhorando a mensagem. Caso você não tenha se tornado um gênio ou um best-seller, é um tanto improdutivo você entregar um manuscrito pra ser publicado, assim como é anacrônico ou excêntrico fotografar sua redação e bilhetes pra postar nas redes sociais. É melhor ter um texto legal que uma letra boa, penso eu. Se for uma receita médica, desconsidere esta última frase.
Com estudo, treino, leitura dos mestres e aplicação, dificilmente vai ser um Machado de Assis. Porém, com alguma dedicação, podes ser o David Coimbra, pelo menos. Se pode até copiar as referências, mas sua falta de originalidade ou estilo logo será percebida. Na hora do improviso ou com um público mais atento a sua produção.
E, voltando a garranchos no lugar e traços com personalidade, pra “desenhar bem” ou melhor, também existem técnicas. Pintores famosos usavam câmeras escuras, quase um digitalizador em sua época. Para alguns, isso era só um complemento aos seu talento e não uma muleta. E valem as mesmas coisas para a pecinha na ponta do lápis ou do mouse. Você pode até reproduzir ou emular uma obra famosa ou um registro da realidade. Ficando no mundano terreno do cartum, o Enfil, o Millôr, o Veríssimo, só pra citar caras que não são conhecidos por um traço caligráfico, com seus garranchos cheios de personalidade, comunicando coisas relevantes ou bem sacadas. Não há técnica que faça uma ideia ruim ter qualidade. Não há como dar forma a algo sem alma. Nesse caso, a solução é dirigir sua produção para uma audiência mais adequada.
Anúncios

Um comentário sobre “Garrancho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s